Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
08/11/2019 - 17:45

Os alunos da escola estadual “Dr. Justo Chermont”, em Belém, tiveram a oportunidade de saber mais sobre os direitos e deveres das pessoas em vulnerabilidade social garantidos na Constituição Federal, com a participação da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) no evento “Consciência Negra e seus Direitos”, realizado pela instituição de ensino, de segunda-feira (4) à sexta-feira (8). 

Durante a semana, cada coordenadoria e gerência, da Diretoria de Cidadania e Direitos Humanos, explicou sobre os direitos da pessoa com deficiência, das mulheres, população LGBT, além de mostrar como funciona o trabalho na prevenção às drogas e o enfrentamento ao tráfico de pessoas e trabalho escravo. 

"É fundamental que esses alunos tenham informações e acesso para saberem dos direitos deles. Muitas vezes, eles são excluídos pela sociedade por serem da periferia. Então é importante pra se incluírem e mudarem os olhares sabendo dos seus direitos", declarou o professor e coordenador do evento, Anderley Marinho.

Para o Thalisson, de 17 anos, participar de ações como essa é importante para adquirir mais conhecimento "Acho muito bom esses tipos de palestras que tivemos durante a semana, porque abrangemos ainda mais conhecimentos voltados aos direitos humanos. E aprendendo aqui, podemos repassar eles lá fora para as pessoas que não sabem ainda", declarou o estudante.

O diretor de Cidadania e Direitos Humanos, Mayky Franco, explica que atuar nas escolas é poder mostrar aos estudantes que todos, sem distinção, tem direitos e são iguais perante a lei. Ressalta que a proposta é levar conhecimento sobre cidadania e justiça para dentro das escolas públicas. 

"Esta ação nas escolas é importante para levar aos jovens o conhecimento do que são os direitos humanos e sua importância. Abordamos as garantias fundamentais e os principios da dignidade da pessoa humana, liberdade e igualdade, em que todos nós somos iguais, independentemente  de raça, sexo, cor, língua, credo, opinião política, nacionalidade ou situação sócio-econômica", afirmou o diretor.

Por: Daniela Condurú (revisado pelo NCS)

Resumo: 
.