A Coordenadoria de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Trabalho Escravo da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos do Pará (Sejudh) promoveu em Belém, entre os dias 26 e 28/07, a Semana Nacional de Mobilização com a Campanha Coração Azul. A meta é sensibilizar a sociedade sobre a realidade do tráfico de pessoas e, ao mesmo tempo, fazer uma convocação nacional para o seu enfrentamento. As ações deste ano ocorreram em três locais estratégicos de Belém: Os terminais rodoviário e hidroviário, além do Aeroporto Internacional.

 

 

O Psicólogo da Sejudh, José Amaral Neto, explica o que é a campanha e o porquê dela ser realizada neste período. “A Campanha é uma sensibilização da sociedade a cerca do enfrentamento ao tráfico de pessoas. Foi instituída pela ONU, na data de 30 de julho, para fazer essa mobilização a partir do lançamento do plano global de enfrentamento a este tipo de tráfico em 2010. Por conta disso, acabamos por fazer a Semana de Mobilização próximo dessa data, onde nós fazemos abordagens informativas nos principais locais de saída e entrada de imigrantes”, explicou.

 

Neto também conta que porque é importante discutir sobre o tema. “É importante tratarmos de um assunto como esse, pois esclarecemos e informamos a sociedade sobre o que se trata o tráfico de pessoas, qual a importância do enfrentamento, quais as formas de conseguir evitar que isso ocorra tanto em âmbito nacional quanto internacional, e trazer a tona essa questão muito presente entre nós, mas que não é discutida da maneira que deveria.”

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi uma das parcerias da Sejudh na realização da campanha. De acordo com Tainah Nascimento, presidente da Comissão de Direitos Humanos da PRF no Pará, a parceria visa tanto a prevenção quanto a repressão deste tipo de tráfico. “Nós sempre estamos presentes nas campanhas que a Sejudh movimenta. A parceria da PRF é no sentido tanto da prevenção quanto da repressão. Estamos fazendo esse alerta sobre os riscos do tráfico de pessoas. A Campanha Coração Azul vem pra relembrar o sofrimento das vítimas desse tipo de tráfico e conscientizar a sociedade sobre as causas e como evitar que se caia na rede desses traficantes”.

 

 

Tainah também dá dicas de como prevenir situações que possam levar ao tráfico de pessoas. “É preciso estar prevenido em relação à documentação, que não deve ser entregue a nenhum estranho; você deve procurar a procedência de determinadas ofertas de emprego que são anunciados; é preciso saber se a proposta é verdade; também é importante não perder o contato com a família, informando-os sua localidade e dando número para contato caso saia do país; e fora isso, se as pessoas souberem de algum caso suspeito de tráfico de pessoas, elas podem denunciar através do ‘disque 100´. Por meio do ‘disque 100’, elas podem fazer essa denuncia de maneira anônima sobre algum caso suspeito desse tipo”, contou.

 

 

A Polícia Militar também trabalhou como parceira na Campanha Coração Azul. O Sargento Alexandre Martins explicou como a PM age em uma situação de tráfico de pessoas em que estão envolvidas crianças e adolescentes. “Nós trabalhamos em conjunto com os conselhos tutelares e o juizado da infância e da juventude. No caso em que identificamos uma situação suspeita de tráfico de pessoas, em específico crianças e adolescentes, entramos de imediato em contato com o Conselho Tutelar. Lá, eles tomam as devidas providências, como provisão de abrigo, além de entrar em contato com os responsáveis legais desses jovens.”

 

 

A Recepcionista Rafaela Silva, de 29 anos, foi uma das abordadas pelas pessoas da campanha no Aeroporto Internacional de Belém. Ela revela que nunca tinha visto uma ação sobre este tema e apoiou a iniciativa. “Ainda não tinha visto uma ação como esta, voltada para a questão do tráfico de pessoas. É muito importante falarmos sobre isso, porque pode acontecer com qualquer um. Isso acontece diariamente entre nós e acabamos nem percebendo. É preciso ter mais atenção com quem à gente se envolve, conversa. Então é bom termos um incentivo a mais, como esse, para termos mais atenção sobre essa questão, do que está acontecendo ao nosso redor.”

 


Imprimir postagem Imprimir postagem