Sobre acessibilidade

Serviços

Início >> Artigos
30/07/2018 - 15:45

No Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Seres Humanos, 30 de julho, a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) realiza uma ação alusiva à data. No Terminal Rodoviário de Belém, a Comissão de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Trabalho Escravo (COETRAE) montou uma programação a fim de conscientizar os transeuntes que passavam pelo local durante toda a manhã.

Durante a programação foi desenvolvida atividade alusiva referente à Semana Nacional de Mobilização, que é um movimento de sensibilização da sociedade sobre a realidade do tráfico de pessoas e, ao mesmo tempo, uma convocação nacional para o seu enfrentamento, além da performance do grupo Eu Mulheres, do Coletivo Jambuzada.

A Coordenadora COETRAE, Leila Silva, informou quais orientações seriam dadas durante a ação. "Como a pessoa deve observar para não cair nas armadilhas de propostas mirabolantes de emprego ou do aliciamento pela internet, principalmente para os jovens. Hoje é o dia em que a nossa equipe faz campanha nos locais com mais movimentação de entrada e saída de Belém a fim de dar essas orientações ao maior número de pessoas", disse.

O Enfermeiro e Professor de Biologia, Paulo Rogério Monteiro, que estava embarcando rumo a São Paulo em busca de emprego, concorda que a campanha é muito oportuna. "Eu tenho uma filha que mora em São Paulo e estou indo para morar com ela, mas, infelizmente, muita gente sai do seu estado ou país sem nenhuma certeza, apenas com a esperança de uma vida melhor e acaba por descobrir que o trabalho não era nada do que ela esperava. Por isso é importante que haja uma campanha como essa", declarou.

Para esclarecer sobre o que deve ser feito caso seja identificado um provável caso de tráfico de pessoas, a delegada Hildene Falqueto, informou que pode ser procurada a Delegacia de Combate aos Crimes Discriminatórios e Homofóbicos. "Estamos aqui hoje para dar orientações ao indivíduo que se sentir vulnerável ou que conheça alguém que possa se enquadrar nesse quadro suscetível ao tráfico de pessoas, como ele pode nos encontrar ou contatar", informou.

- DADOS

Segundo o relatório da ONU, de 2018, quase um terço das vítimas desse tipo de crime são crianças. Atualmente, 71% das pessoas traficadas são meninas e mulheres.

Já o relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) calcula que o mundo tenha pelo menos 21 milhões de vítimas de trabalho forçado. O número exato é desconhecido.

Com o intuito de fazer com que as pessoas tenham a mínima percepção do que ocorre com as mulheres que são traficadas, o grupo Eu Mulheres, do Coletivo Jambuzada, realizou uma encenação sobre as condições da mulher que é vítima desse crime.

A atriz Marilda de Tarumã falou sobre a relevância de trazer, através da arte, esse tema para as rodas de conversa entre amigos, famílias e qualquer grupo social. "Os dados são claros, das pessoas que são sequestradas, a maioria são mulheres, que são levadas, principalmente, para fins de exploração sexual. Lá essas mulheres são espancadas, são retiradas do seu espaço, são vítimas de todas as questões desumanas. E é isso que nós tratamos na nossa performance. Nós queremos, através dos nossos corpos, fazer esse grito de alerta e chamar a sociedade para as questões que envolvem, especialmente, as mulheres" declarou.

- SOBRE O DIA MUNDIAL DE ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE PESSOAS

O Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, 30 de Julho, foi instituído em 14 de novembro de 2013 pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Na ocasião, é amplamente difundida a Campanha Coração Azul, do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

Nesse dia também se inicia a Semana Nacional de Mobilização, que tem como objetivo ampliar o reconhecimento das ocorrências de tráfico humano e mobilizar a sociedade e as instituições,
públicas e privadas, para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, além de aumentar a participação da sociedade civil, dar visibilidade às ações desenvolvidas nesta temática, disseminar o tema nas redes sociais e fazer com que a Campanha Coração Azul seja vista globalmente como um auxílio para a prevenção e enfrentamento ao tráfico de pessoas, com foco na comunicação e informação.

- UTILIDADE
A Delegacia de Combate aos Crimes Discriminatórios e Homofóbicos funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 h, na Rua Avertano Rocha, 417, Bairro Cidade Velha. Telefone: (91) 3212-3626.

O Posto Avançado de Atendimento Humanizado ao Migrante do Estado do Pará funciona no Aeroporto Internacional de Belém. Telefones: (91) 3210 6068 / 3257 0280 / 98141 7697

 

Resumo: 
.