A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), em parceria com a Prefeitura de Paragominas, deu início na manhã desta terça-feira, 6, no município, ao Seminário Intersetorial de Políticas sobre Drogas da região do Rio Capim. O evento reúne os diferentes operadores de políticas públicas, com o objetivo de efetivar o Sistema Estadual de Política sobre Drogas, além de atualizar o plano de ações integradas, visando fortalecer a responsabilidade compartilhada para essas ações.

 

Estão participando do seminário os representantes dos municípios de Abel Figueiredo, Aurora do Pará, Ipixuna do Pará, Ourém, Capitão Poço, Irituia, Concórdia do Pará, Tomé-Açu, Bujaru, Mãe do Rio, Nova Esperança do Piriá, Ulianópolis, Dom Eliseu, Rondon do Pará e Garrafão do Norte.

 

Após a mesa de abertura, o evento continuou com a palestra de política sobre drogas e a intersetorialidade e, em seguida, uma palestra promovida pela Secretaria Municipal de Assistência Social. A programação continuará nesta quarta-feira.

 

 

A vice-presidente do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas, Anna Chamas, comenta sobre a importância da interiorização dessas ações. “Quando o Estado promove ações como esta, acaba criando um canal de discussão e faz com que cada município passe a se enxergar também como responsável pelo plano. Quando isso acontece, a responsabilidade fica mútua e assim temos a possibilidade de avançar ainda mais com a política de enfrentamento às drogas”.

 

 

O plano de ações é uma estratégia político-institucional para a pactuação das ações que visam fazer o enfrentamento, primando pela redução de danos e aos direitos humanos na região do Capim. “Começamos com a região do Capim, que é fruto de um pacto que foi feito entre as secretarias pertencentes ao plano estadual. O próximo passo é continuar aqui na região para que futuramente nós possamos fazer uma conferência com a população, para analisar de que forma o plano foi trabalhado e verificar se obtemos resultados positivos”, disse Michell Durans, secretário de Justiça e Direitos Humanos.

 

 

O prefeito da cidade, Paulo Tocantins, reafirmou a importância do diálogo entre as esferas do poder público. “É necessária a participação do Estado, pois a maioria dos municípios dessa região não possui estrutura para realizar esse trabalho de enfrentamento ao uso e tráfico de drogas”.


Imprimir postagem Imprimir postagem